Os círculos bíblicos nasceram e se desenvolveram em um momento de nossa pastoral constatando a necessidade dos católicos de aprofundarem a Palavra de Deus e formarem verdadeiras comunidades iluminada pela Palavra. A Sagrada Escritura lida, meditada, orada, contemplada e vivida ilumina nossa vida cotidiana. Por isso, o mesmo texto bíblico serve para qualquer situação que se encontre aquela comunidade, pois tudo parte da Palavra e a realidade assim vai sendo iluminada. As realidades diferentes serão oportunidades de colocar em prática a Palavra de Deus que celebramos neste mês de setembro, com o tema: “para que n’Ele nossos povos tenham vida”. É o que fazemos em nossos encontros nas pequenas comunidades: meditamos a Palavra e a confrontamos com a vida cotidiana. Temos muitos grupos de reflexão, de pastorais, de movimentos e outros que aprenderam que tudo o que fazemos deve se iniciar com a acolhida da Palavra de Deus em nossas vidas e nossa história, ou seja, a presença do Cristo Ressuscitado entre nós. Enfim, são pequenos grupos de pessoas que, ao redor da Palavra de Deus, refletem e rezam sobre a vida e missão.

Os círculos bíblicos são a presença da Igreja nas regiões geográficas das paróquias. Eles se reúnem nas casas, sob a direção de um coordenador, devem sempre ser ligados à paróquia, por isso não são um movimento supra paroquial ou supra diocesano. As pequenas comunidades formam a comunidade paroquial. O objetivo é fazer com que as pessoas encontrem a vida em Cristo, se aproximem mais, sejam mais solidárias, se conheçam melhor, criando comunidades fraternas. A consequência é formar uma comunidade e uma presença de “Igreja” naquele local. Sua finalidade volta-se para a reflexão que, partindo de Cristo, Verbo eterno encarnado, chegamos a temas da vida atual, colocados sob a forma de agir na visão de Jesus, ficando mais fácil ligar a vida atual de cada participante aos ensinamentos bíblicos. A Igreja nasce do alto com a presença do Espírito, que ilumina a realidade das pessoas pela Palavra proclamada.

O círculo bíblico é essencialmente missionário. Pelo fato de ser realizado na residência de um paroquiano, este se sente à vontade para convidar algum vizinho ou parente que esteja um pouco afastado da Igreja, ou do próprio Deus, e também pelo fato de seus componentes se reunirem fora do templo e atuarem fora do espaço comum da sede da comunidade. É a tradução de uma Igreja em saída. Como missionário é também gerador de outros grupos de reflexão que se espalham por outros locais, prédios, condomínios, bairros. Os seus componentes são missionários da Palavra de Deus, pois a levam para os lugares onde se reúnem: prédios, lares, locais de trabalho testemunhando pela sua vida a certeza de que o Senhor Jesus está vivo e Ressuscitado e Vive entre nós. Em tempos de tantas dificuldades para iniciar a evangelização em alguns ambientes e condomínios, os círculos bíblicos são uma maneira missionária de o católico atuar. As visitas marianas também ajudam nessa situação. Enfim, teremos que saber como chegar ao coração das pessoas.

O círculo bíblico tem em sua dinâmica a leitura da Bíblia (lectio), a meditação sobre a Palavra (meditativo), a reflexão sobre a vida iluminada por ela, a oração motivada pelo texto (oratio) e a nova visão da vida e do mundo (contemplação), que nos levam a uma prática evangélica na vida de cada dia. No meio dessas reflexões, de rezar, de refletir, podemos cantar, também fazer perguntas, falar, ouvir, responder, enfim, partilhar a vida iluminada pela Palavra. Dos pequenos grupos sentiremos a necessidade de participar da missa dominical em nossas capelas ou paróquias para que se complete o alimento com o banquete Eucarístico.

Faça um comentário