A Crisma é um sacramento e um impulso para uma vida nova, segundo o Espírito Santo.

Na última sexta-feira (16) o Bispo Diocesano, Dom Edney Gouvêa Mattoso, visitou a Paróquia Santo Antônio, em Macaé. Na ocasião, 49 jovens e adultos estiveram presentes para receberem o Sacramento da Crisma das mãos episcopais.

Dom Edney iniciou fazendo os devidos cumprimentos aos concelebrantes – o Vigário Episcopal do Vicariato Litoral e pároco da Santo Antônio, Pe. Gleison Lima, e o Vigário Paroquial da Santo Antônio e Capelão do Hospital São João Batista, Asilo e Casa do Idoso, Pe. Ricardo Schueller – e acolheu, de um modo carinhoso, toda comunidade presente, em especial aos futuros crismados.

Durante a homília o Bispo se aproximou da assembleia que atentamente acolheu cada palavra.

Em sua homília, o Epíscopo recordou a passagem em que o Espírito Santo desceu sobre os Apóstolos.

– Mesmo depois da experiência com o Ressuscitado, o medo os assombrava. Jesus já estava vitorioso na glória do Pai, mas eles continuavam no mundo e Maria estava com eles. Maria, aquela a quem o Senhor confiou na pessoa do discípulo amado, João, toda a humanidade, já estava cumprindo sua missão de mãe, acompanhando a jovem Igreja que nascia naquele grupo dos doze discípulos do Senhor. De repente, veio um forte vendaval e arrombou portas e janelas, e viram descer sobre cada um deles como línguas de fogo que pairavam sobre suas cabeças. A partir disso, começaram a anunciar Jesus Cristo com um destemor nunca visto. As palavras surgiram em seus lábios, brotavam dos seus corações e aqueles que os ouviam, ficavam estarrecidos, porque falavam línguas diferentes e eram de localidades diferentes. No entanto, todos conseguiam entender o que os apóstolos estavam dizendo. Chamamos isso de: o Milagre de Pentecostes – disse o bispo.

E, voltando-se para os crismandos:

– Assim que a pessoa é crismada, o seu rosto se ilumina com o sorriso que vem de dentro, que vem do coração, por perceber-se habitação do Espírito Santo. Outros chegam a chorar. São lágrimas que brotam de um coração agradecido a Deus por esse dom maravilhoso recebido.

E concluiu.

– Ao sermos crismados, devemos estar conscientes de que somos enviados. Aliás, em missão desde o dia em que fomos batizados, na Crisma, nós recebemos a força do Espírito para que nessa força, possamos evangelizar. Falar, não aquilo que pensamos, mas as coisas de Deus.

Em seguida, Dom Edney iniciou o rito da Crisma com a renovação das promessas do Batismo, momento em que todos os crismandos acendem suas velas no Círio Pascal. Na sequência, com suas velas já apagadas, fizeram uma fila com seus respectivos padrinhos, em direção ao Prelado que ungiu a fronte de cada um.

Ao final da celebração, Pe. Gleison Lima agradeceu aos catequistas pelo esforço e dedicação, parabenizou e motivou os crismados, visto que muitos deles já estão engajados nas pastorais e movimentos. Também recordou que, para os cristãos, a Crisma não é o ponto final, mas “apenas o início de uma caminhada, para quem teve seu Batismo confirmado e agora irá trabalhar para fazer o Reino de Deus crescer.” Encerrando, agradeceu ao Bispo pela missão de pastorear suas ovelhas dando sempre o melhor e presenteou-o com um belíssimo quadro, cuja estampa é um retrato da primeira igreja construída sob a administração paroquial do então Pe. Edney no final da década de 80.

Dom Edney recebe singela homenagem

Texto: Patrycia Vieira e Tânia Mara/Pascom Santo Antônio

Fotos: Hellen Pessanha e Patrycia Vieira/Pascom Santo Antônio

Faça um comentário